top of page
  • Foto do escritorLUACOM

Persona: você sabe definir o cliente ideal do seu negócio?

Esqueça aquela história batida de público alvo. Hoje em dia as empresas não podem mais ficar satisfeitas em atingir somente uma grande massa de pessoas, elas tem que atingir cada indivíduo de uma forma mais pessoal e íntima.


Na era digital as redes sociais vem nos aproximando como nunca aconteceu antes na história da humanidade. E a empresa que quer se destacar no mercado precisa refletir isso na sua postura para com o cliente.


Agora você deve estar se perguntando, “Como eu posso me aproximar mais do meu cliente? Como posso conhecê-lo melhor se são milhares de pessoas? Não é para isso que existe o público alvo?”


Arte gráfica demonstrando o conceito de público alvo com uma flecha e um alvo típico dos esportes de mira.

Mais ou menos. O público alvo serve para você concentrar seus esforços de marketing em um grupo de pessoas com base em dados frios como faixa etária, sexo e renda mínima. Agora, se você quiser se aproximar emocionalmente do seu cliente e criar um relacionamento de cumplicidade com ele, você precisará criar uma Persona.


Mas o que é Persona? É basicamente um público alvo 2.0, com informações muito mais detalhadas e que requer extensa pesquisa e atualizações constantes na construção do modelo de cliente ideal da sua empresa.


Calma. Não se assuste. Para simplificar nós dividimos o processo em três passos simples:


Quem?

Quem é o seu cliente ideal? A primeira coisa que uma persona precisa é de um nome. Muitas empresas também dão um rosto ao cliente fictício, seja com uma foto grátis da internet ou um desenho cartunesco. Mas a ficção para por aí.


Todas as demais informações como profissão, etnia, sexo, faixa etária, filhos e etc., precisam ser retiradas de dados reais. Para essas informações basta observar aquilo que você já sabe sobre os seus clientes atuais pelos dados de cadastramento do seu site/loja, dando aquela olhada nas redes sociais dos seguidores da sua marca, coisas do tipo.


Exemplo de Persona neste estágio da construção: Evelyn, 23 anos, negra, solteira, professora de primário.


Neste exemplo nota-se que a maioria dos clientes cadastrados em um site de papelaria eram jovens negras, solteiras e professoras, a maioria de primário.


Professora negra com seus pequenos alunos do jardim de infância.

O quê?

Essa é a parte onde você vai procurar saber mais sobre o pessoal do seu cliente. Normalmente isso é feito através de pesquisas cara a cara e online. Um bom truque é oferecer algum brinde ou desconto a quem responder um formulário ou questionário rápido.


Que tipo de coisas ele gosta? Quais os seu hobbies e diversões? Quais os seus sonhos e objetivos? E, o mais importante, que tipo de problemas ele tem na vida que o seu negócio pode ajudar a resolver?


A papelaria do nosso exemplo ofereceu 5% de desconto em compras acima de 100 reais para quem respondesse a um questionário pessoal no site.


Com os resultados podemos adicionar à Persona Evelyn que ela: ama ler, é religiosa e gosta de bater papo na internet com os amigos. Gostaria de ter mais tempo para o lazer, mas o trabalho sempre ocupa um bom tempo do fim de semana.


Grupo de estudos segurando bíblias. Não se vê os seus rostos.

Como?

Aqui é onde você vai descobrir como a sua marca pode ajudar o seu cliente a resolver os problemas dele. Com os dados mais pessoais será possível perceber que a maioria dos seus clientes te procuram pelo mesmo motivo e é em cima disso que você vai trabalhar as suas futuras estratégias de marketing.


Com os clientes representados pela nossa Persona Evelyn, a papelaria pode resolver esse problema da falta de tempo nos fins de semana oferecendo produtos ou serviços que facilitem o trabalho dos professores.


A pesquisa retornou que uma das dificuldades está na administração pessoal das tarefas, então as redes sociais da papelaria podem dar dicas de organização e otimização de tempo, criando um vínculo com a cliente e firmando a sua marca na memória dela.


O segundo problema está na grande perda de tempo procurando pelos materiais que serão usados nos acessórios escolares das crianças e fantasias de eventos da escolinha. Então a papelaria pode ajudar passando a estocar os materiais que são mais procurados por essas clientes representadas pela Persona Evelyn, e claro, anunciando claramente a novidade.


Diversos materiais de papelaria espalhados de forma harmoniosa e alegre.

Viu como é fácil?

É um trabalho que leva tempo e requer muita pesquisa, mas compensa totalmente no final. Alguns negócios podem precisar de duas ou mais personas. A papelaria, por exemplo, pode descobrir que além de professoras também é muito visitada por costureiras e isso requer uma segunda persona para representar esse público e solucionar os seus problemas.


O mais importante é sempre planejar suas estratégias pensando na persona. Não é incomum nas reuniões de empresas modernas os executivos se perguntarem “Mas o que a Evelyn gostaria?” ou “ O que a Evelyn pode estar precisando agora?”.


Trabalhar com foco nas necessidades de uma pessoa real (mesmo que semi-fictícia) estimula naturalmente a empatia e humanidade na sua equipe para fazer o mesmo que empresas de grande sucesso como McDonald’s e Coca-Cola fazem: mais do que clientes, criar verdadeiros fãs e defensores da marca.


Jovens com caminhão da Coca-Cola participando de um evento da marca.

Se torne mais próximo do seu cliente e comece a criar a sua Persona ainda hoje!

Para mais dicas sobre Marketing Digital, basta ficar de olho no nosso blog!


Ficou com alguma dúvida sobre Persona? Entre em contato com a gente!

51 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page